Mindfulness visa, essencialmente, o treino da atenção. E as maiores empresas do mundo, dos mais diversificados setores, têm vindo a adotar este treino. Hoje em dia fala-se de uma Mindful Revolution no mundo empresarial. Mas por que é que a atenção é assim tão importante? Porque qualquer coisa que vale a pena fazer vale a pena fazer com atenção.
Pense nos momentos mais importantes da sua vida: com a sua família, no seu trabalho, ao concretizar um sonho – cada um desses momentos depende da qualidade da sua atenção. De facto, a vida é uma sucessão de momentos e, consequentemente, a qualidade da atenção que traz a esses momentos determina a qualidade da sua vida e os resultados que consegue alcançar.
No entanto, estudos recentes indicam que as pessoas estão cada vez mais desatentas. E há múltiplas condições que contribuem para essa tendência. O impacto da tecnologia nas nossas vidas, a todos os níveis, profissional e pessoal; a velocidade estonteante a que as coisas estão a mudar; a avalanche de informação que, tão frequentemente nos inunda, tanto no trabalho como em casa – são apenas alguns dos fatores incontornáveis do nosso dia-a-dia. Na atual cultura de trabalho, estes desafios levam a que, até os profissionais mais dedicados e capacitados, fiquem muito aquém do seu potencial. Sentimentos de frustração, stress, assoberbamento e até mesmo exaustão começam a ser a norma e isto está a ter um impacto tremendo na produtividade de muitas empresas.

A produtividade é uma questão fulcral que, até agora, tem sido abordada a partir do exterior. Mudaram-se os layouts dos escritórios, afinaram-se procedimentos e a gestão de tempo, entre muitas outras abordagens, que são sem dúvida muito úteis. Só que, tudo indica, que chegámos ao fim dessa linha, o problema não pode ser resolvido apenas a partir do exterior. É preciso olhar para o próprio ser humano.
Dadas as características da vida profissional atual, na qual a informação é a principal ocupação, a capacidade de gerir a atenção é o fator mais importante e determinante para o sucesso do indivíduo e, consequentemente, das empresas. Informação ocupa a atenção do recipiente, logo quanto mais informação maior escassez de atenção.
Numa economia baseada na informação, o recurso escasso que precisamos aprender a gerir é a atenção. As solicitações são inúmeras mas o ser humano que as processa é um só. A produtividade na economia de informação não depende só do poder da tecnologia, depende, principalmente, da qualidade do ser humano que atende a toda essa informação. Mindfulness visa exatamente isso, otimizar as capacidades mentais do indivíduo através do treino da atenção. E a atenção treina-se (tal como a desatenção). Hoje em dia sabemos que o cérebro tem uma plasticidade incrível durante toda a vida e que, treinando-o, podemos otimizar as capacidades da mente. Dada a ligação entre o corpo e a mente, a ciência aponta que os benefícios deste treino estendem-se a ambos. Uma mente atenta é uma mente mais capaz, mais calma, mais feliz. E isso, por sua vez, contribui para um sistema nervoso mais regulado, um sistema imunitário mais robusto, um organismo mais saudável.

O treino da atenção fomenta a tomada de consciência de aspetos fulcrais da nossa experiência cognitiva, emocional e relacional. É exatamente por atender-se à experiência com mais consciência que potencializamos as nossas capacidades. Mindfulness não é uma teoria, é um treino e requer praticar. Para tal, há dois tipos de práticas: práticas formais, que são momentos específicos para o treino da mente através de exercícios de atenção, e práticas informais, que visam levar o treino da atenção para momentos do dia-a-dia. Estes dois tipos de prática complementam-se e, tal como o nome diz, é mesmo preciso praticar. Caso contrário, seremos arrastados por hábitos e condicionamentos que levam à progressiva fragmentação das nossas capacidades.
A capacidade de dar resposta aos desafios da vida não depende apenas das condições exteriores, depende de termos ou não desenvolvido o potencial que temos. Desenvolver esse potencial é algo que só o próprio pode fazer por si e o treino da atenção é, nesse sentido, essencial.