Desde a adesão à União Europeia que Portugal tem permanecido na retaguarda da Europa em termos de produtividade. O esforço de convergência não tem resultado e encontramo-nos hoje em situação muito semelhante à de 1995, com um gap de produtividade superior a 30 pontos percentuais quando comparado com a média da União Europeia. 

A situação no setor industrial não é muito diferente. Entre 2008 e 2013 a economia portuguesa deparou-se com dois períodos de recessão que obrigaram os empresários industriais a adiar os investimentos, adiando assim a modernização das suas empresas. Em 2012, o investimento em capital fixo nas empresas industriais foi cerca de metade do verificado em 2008 (1). Coincidência, ou não, entre 2008 e 2013 a indústria perdeu importância, tendo sido estes os anos em que a indústria acrescentou menos valor à economia portuguesa (2). Os dados parecem indiciar a existência de uma associação entre o investimento e a criação de riqueza.

Formação Bruta Capital Fixo* – Setor Indústrias Transformadoras
*Bens que servem para produzir outros bens – máquinas, equipamentos e materiais de construção.
(2) Valor acrescentado da Indústria Transformadora
em relação ao PIB (%); Anual [Fonte: INE]

Durante os últimos anos tive a oportunidade de contactar com centenas de industriais, em diversas fases de vida das empresas. Todos eles me deram conta das dificuldades sentidas, no entanto todos demonstraram determinação em investir em equipamentos produtivos, pois acreditam residir aí a grande parte do sucesso das suas empresas. Será isso que tornará as empresas mais competitivas, que lhes permitirá não só produzir mais, mas também obter uma maior eficiência de custos, gerar mais valor acrescentado, mais riqueza. Os dados estatísticos da economia portuguesa parecem suportar esta ideia. Desde 2013 que as empresas industriais estão a investir mais, estando simultaneamente a gerar mais riqueza.

É notório que vivemos hoje um período de maior confiança dos empresários e isso tem-se traduzido num aumento considerável do investimento na indústria. A GRENKE tem-se colocado estrategicamente ao lado das empresas industriais, visando apoiar a concretização destes investimentos. É neste sentido que temos procurado adaptar a nossa oferta, com soluções à medida de cada empresa, permitindo a estas que invistam sem se descapitalizar. Fruto desta aposta, temos merecido de modo crescente a confiança das empresas. Em 2018, o valor do nosso apoio aos investimentos da área industrial mais do que triplicou face ao ano anterior (3), o que vem afirmar como certa a nossa aposta, mas também mostrar o dinamismo e a aposta na inovação das empresas industriais e dos seus gestores.

Evolução do Renting em Equipamentos Industriais

Queremos dar continuidade à nossa aposta. É por isso que investimos em soluções adaptadas ao seu negócio. É por isso que investimos numa equipa de profissionais experientes e num serviço de excelência. É por isso que investimos na sua empresa!