O atraso ou a falta de pagamento das faturas impede muitas vezes o crescimento sustentável das empresas. Sobretudo das PME, que nem sempre têm liquidez para aguentar 30, 60, 90 dias – ou até mais – sem receber qualquer valor das suas faturas. As que conseguem manter ainda algum equilíbrio na tesouraria, por vezes, acabam por alargar o prazo de pagamento. Mas esse cenário não é o ideal. Não é favorável. Nem promissor. Ainda mais quando sabemos, e segundo os últimos números do Barómetro de Pagamentos Informa D&B, de fevereiro de 2019, que apenas 14,2% das empresas pagam dentro dos prazos acordados com os seus fornecedores. Para evitar uma rutura e ficar vulnerável no mercado, muitas empresas procuram soluções financeiras que as ajudem a manter a liquidez e a conseguir uma gestão equilibrada da tesouraria. Uma dessas soluções é o factoring. E do que se trata? “Factoring consiste na aquisição de faturas por uma instituição financeira, o que permite às empresas receberem o valor em dívida dos seus clientes antecipadamente”, adianta Luís Carvalho, managing director operations da GRENKE Factoring, entidade que iniciou atividade em Portugal no último mês de março. “É um produto financeiro de apoio à tesouraria das empresas, que consiste na tomada de créditos de curto prazo (faturas) por uma instituição financeira, como a GRENKE, que permite usufruir de três vertentes distintas: cobrança, risco e financiamento. Ou seja, a GRENKE assume a cobrança das faturas, pode tomar o risco de incumprimento das mesmas, e assegura o serviço de financiamento com pagamento em 24 horas”, acrescenta. 

A GRENKE Factoring, que pertence ao grupo alemão GRENKE – presente no País desde 2008, rege-se por três modalidades que são transversais ao mercado: factoring sem recurso, factoring com recurso e cash collection. “Na primeira modalidade, a GRENKE compra as faturas ao cliente (aderente) e caso o devedor, no prazo estipulado, não efetue o pagamento, a GRENKE assume o risco e a perda do valor. Na segunda modalidade, factoring com recurso, se, no prazo estipulado, o devedor não pagar, a instituição financeira pode pedir ao aderente para devolver o dinheiro que adiantou. Por último, no cash collection a GRENKE só faz gestão e cobrança de faturas. Aqui o aderente só paga uma comissão pelo serviço e não recebe adiantamento”, aponta Carlos Ferreira, regional sales manager da GRENKE Factoring. Seguindo estas modalidades, indica ainda, “a GRENKE Factoring decidiu criar um conjunto de produtos, devidamente ajustados às necessidades de cada cliente, que permitem ajudar naquilo que realmente faz avançar e evoluir uma empresa: a sua liquidez”. 

A principal vantagem do produto financeiro da GRENKE Factoring é óbvia: uma empresa consegue manter a sua liquidez através desta linha de financiamento rápida, uma vez que assim que emite uma fatura pode ter acesso ao seu valor em 24 horas. Ao invés de estar à espera daqueles 30, 60, 90 dias pelo pagamento. Adicionalmente, pode ainda aumentar as suas vendas através da concessão de crédito ou do aumento das condições atuais a clientes que até aqui, não dispunham desta possibilidade. Mas existem outros benefícios ao aderir ao factoring, como refere Célia Pedro, account manager na GRENKE Factoring. “Uma empresa que adira ao nosso produto de factoring vai ter acesso a uma equipa de gestão de cobranças especializada, o que lhe vai permitir libertar os seus recursos para outras funções e focar-se nos objetivos estratégicos e operacionais do seu negócio. Oferecemos ainda uma monitorização cuidada da carteira de clientes, efetuada por um conjunto experiente de analistas de risco. Além disso, há uma transparência processual, o nosso serviço é muito menos burocratizado, tornando-o mais simples. Temos um portal online bastante intuitivo em que o cliente tem acesso ao processo de forma completa, permitindo-lhe gerir a sua carteira em ‘real-time’. Na GRENKE Factoring também seguimos os pilares do grupo GRENKE, que já está no mercado há 40 anos – oferecer um serviço simples, rápido, dedicado e transparente”.

Apesar de se tratar de um produto existente no mercado nacional há vários anos, a GRENKE acredita que irá trazer uma nova abordagem ao mesmo. De acordo com Marco Souta, managing director sales da empresa, “o factoring da GRENKE está vocacionado quer para pequenas empresas, quer para empresas de maior dimensão. Procuramos criar processos adequados à estrutura de cada cliente, permitindo-lhes, com mais ou menos recursos, garantir que o factoring é um instrumento indispensável para quem procura eficiência e qualidade na gestão do seu negócio. Para além de processos assentes numa componente tecnologicamente evoluída, continuamos a valorizar o acompanhamento personalizado como um fator altamente diferenciador”. O responsável adianta ainda que “este é um passo muito importante para a consolidação da marca e do seu reconhecimento enquanto parceiro de negócios especializado das PME do mercado nacional”.

Para aderir ao serviço da GRENKE Factoring basta que a empresa efetue vendas a crédito no mercado B2B e que apresente um volume anual de negócios acima dos 100 mil euros.