A Bombóleo faz este ano 60 anos. A empresa, fundada por Domingos Marques, um técnico de sistemas de injeção diesel que começou a trabalhar aos 20 anos de idade, surgiu em 1959 resultante de um pequeno negócio familiar na área da reparação de componentes diesel. Hoje, volvido mais de meio século, a sua oferta vai além disso. Nos últimos anos, a empresa tornou-se importadora e distribuidora dos principais fabricantes mundiais de peças e equipamentos automóvel. “A nossa oferta atual de produtos é muito vasta. Oferecemos todas as gamas de peças e acessórios para o automóvel disponíveis para o aftermarket, onde destaco as gamas de diesel e turbos, que são sem dúvida as principais gamas e o ADN do Grupo. Em termos de serviços, a nossa oferta vai desde o diagnóstico e reparação automóvel, programa de formação para profissionais, assistência técnica de equipamentos, hotline técnica e um serviço dedicado de call center de apoio ao cliente”, adianta Nuno Paquete, diretor-geral da Bombóleo.

Com sede em Lisboa e filial no Porto, a empresa está presente em mais dois continentes, com empresas em Angola, onde se estabeleceu em 1992, e no Brasil, desde 1994. A expansão além-fronteiras foi uma aposta ganha de Domingos Marques, que está hoje plenamente consolidada e em crescimento graças ao profissionalismo que caracteriza a empresa. Segundo Nuno Paquete, “o sucesso da Bombóleo deve-se à experiência adquirida ao longo dos 60 anos de existência, aliada aos mais modernos equipamentos e a um vasto stock de peças e acessórios, mas também a um pilar que, embora não sendo um produto, confere um grande serviço: os profissionais da empresa que a dignificam todos os dias.” 

Para o crescimento do Grupo, a Bombóleo considera ainda que a solução de renting da GRENKE tem sido uma vantagem, permitindo-lhe ter acesso a produtos na vanguarda da tecnologia: “Num mercado difícil, altamente competitivo, a GRENKE tem sempre pautado a sua atuação por coerência, agilidade de processos, acessibilidade e rapidez nas respostas. É esta a postura correta e que devem manter. É também a razão pela qual os negócios têm aparecido”, aponta o diretor-geral. O volume de negócios da Bombóleo em Portugal ultrapassou os 30 milhões de euros no ano passado.