A Copialta surgiu em 1992 por iniciativa de José Morgado e Mário dos Prazeres. Os dois empreendedores não recebiam ordenados há meio ano da empresa onde trabalhavam e decidiram, por isso, aventurar-se por conta própria. “O meu pai e o seu sócio criaram o negócio na mesma área, eles vendiam fotocopiadoras da marca Kyocera Mita, na altura conhecida por Mita. Eles eram os melhores vendedores na outra empresa – tinham uma base de dados de clientes sustentada – e isso ajudou muito no lançamento do novo negócio”, relembra António Morgado, CEO da Copialta e filho do fundador José Morgado. Atualmente, a empresa vende soluções de cópia e impressão, gestão documental, gestão de produção e POS (ponto de venda). “Na Copialta chegámos a vender faxes e máquinas de escrever! Mas, com a evolução do tempo, acabámos naturalmente por entrar na área de informática. Hoje em dia somos mais uma empresa de TI. O nosso objetivo é entrar num escritório de um cliente e apresentar soluções que correspondam às suas necessidades, nomeadamente em gestão documental, digitalização, otimização de processos, e conseguir ajudá-los no alcance dos seus objetivos e sucesso”, conta o CEO e sócio da empresa. 

Para ajudar no seu negócio, a Copialta apresenta sempre a solução de renting da GRENKE aos clientes. Porquê? “Só este tipo de ferramenta é que nos permite crescer de forma sustentável. Hoje, graças à GRENKE, conseguimos apresentar soluções em que o cliente paga um valor mensal pelo aluguer de um equipamento ou software, o que em termos de liquidez para a empresa é muito bom. Os clientes ao invés de investirem 30 a 50 mil euros, fazem investimentos de 700 a 800 euros por mês, por exemplo. O que lhes permite ter mais por menos. Conseguem com a GRENKE ter soluções mais rápidas e melhorar o seu cash-flow”.

A Copialta tem escritórios na Guarda e conta com uma equipa de 15 colaboradores.