“A visão e a força para fazer com que todos os elementos da realidade de uma equipa se fundam num todo inspirador. Andy Grove, quando era CEO da Intel, passou para o seu bloco de apontamentos um recorte da revista TIME. Acima escreveu: ‘A descrição do meu trabalho.’ O recorte continha uma breve descrição das responsabilidades de um realizador de cinema – ‘Visão para inspirar: qualquer realizador tem de ser capaz de controlar uma enorme complexidade. Tem de gostar do trabalho de som, da câmara, acalmar egos, saber manipular talentos artísticos’. Mas, um grande realizador, acrescentou Grove, tem algo mais: ‘a visão e a força para fazer com que todos estes elementos se fundam num todo inspirador’. Nos negócios, temos de estar preparados para lidar permanentemente com as tensões opostas entre previsibilidade e flexibilidade. As empresas necessitam de lideranças fortes, estrategicamente esclarecidas e inspiradoras. Tal como no processo de criação de uma grande obra cinematográfica, as empresas necessitam de uma liderança que consiga fundir todos os elementos num todo inspirador, despertando os ‘grandes profissionais’ que existem nas equipas para que exerçam de forma excecional e apaixonada as suas funções, para que a magia aconteça em todas as áreas da empresa de uma forma continuada.”

*empresa líder na implementação de experiências interativas e projetos de digital signage