É o dia de aniversário da Maria e, como prenda de anos, a empresa dá-lhe a oportunidade de passar este dia tão especial junto da sua família e daqueles que lhe são mais próximos. No entanto, a Maria tem algumas tarefas com prazos para cumprir e opta por gozar esta regalia numa outra altura, mais calma a nível profissional.

Às 9 horas em ponto começa a sua jornada laboral, depois de ter recebido vários telefonemas de pessoas que não estão consigo diariamente, a felicitá-la por mais um ano de vida. Os colegas começam a chegar e, um a um, aproximam-se com entusiasmo para parabenizar a Maria. As piadas são sempre as mesmas: “Já ninguém tem essa idade!”, “É hoje que pagas o almoço?” ou “Trouxeste bolo?”. Entretanto, chega aquela colega especial que lhe paga um café e também recebe o convite do colega do seu departamento para almoçar. Na hora do lanche, depois de apagarem as velas, reúne-se o departamento de contabilidade e o de informática, juntamente com o colega do departamento comercial, que assistem com ansiedade ao entusiasmo da Maria a rasgar o papel da prenda que combinaram oferecer-lhe e que a colega das compras se ofereceu para ir comprar. Era aquele relógio que andou a namorar durante semanas e que estava à espera do final do mês para comprar. Acertaram em cheio!

À noite, reúne-se com a família e os amigos de toda a vida. É tempo de relatar como foi o seu dia e, estranhamente, não se falou do mau humor do colega dos recursos humanos, da exigência do chefe, nem da resposta torta que ouviu de quem trabalha com ela diretamente. Hoje falou-se de um ambiente leve e de festejo. Falou-se de reconhecimento e de união e, o mais curioso, é que a colega especial que lhe pagou o café de manhã estava nesse jantar para comprovar e ajudar a descrever o dia proporcionado pelos colegas.

Cultivam uma amizade dentro e fora do escritório. Há empatia, regras e maturidade nesta relação, mas também há uma linha que ambas desenharam e que divide estes dois mundos. Esta colega faz parte da ‘tribo’ de amigos da Maria. Conheceram-se no mundo profissional, tal como todos os outros colegas. Não almoçam juntas todos os dias e, muitas vezes, nem se falam, tal é o stress e as urgências do dia a dia.  

Em ambientes empresariais nem tudo são rosas. Há respostas exaltadas, há pressão, mudanças de humor e fatores que nem sempre conseguimos controlar. Sobreviver a tantos estímulos, nem sempre positivos, é uma vitória. Laços que sobrevivem a estas exigências sobrevivem a qualquer coisa. É caso para dizer: amigos, amigos, relógios à parte.

Find your tribe, love them hard.
Have less, but the best.