Fomos ao Zero Latency, o primeiro centro de jogos de realidade virtual em Portugal, experimentar o jogo Zombie Survival e percebemos que só conseguimos sobreviver a um ataque de zombies se trabalharmos em equipa. Éramos apenas três pessoas – o máximo são seis jogadores – e não foi fácil. Estivemos em grandes dificuldades por três vezes! Aprendemos, com a experiência, que em situações de stress e crise temos de comunicar melhor e pedir ajuda. “Este jogo de zombies, embora seja de puro entretenimento, obriga-nos a comunicar. Temos de falar constantemente, trabalhar em equipa para vencermos. Mais do que um score individual, para ver quem mata mais zombies, o importante é ninguém morrer e a equipa conseguir sobreviver. É esse o mote”, adianta Rui Pimentel, country manager da 7fun, empresa especializada em centros de entretenimento que trouxe o conceito para Portugal.
O Zero Latency abriu em dezembro do ano passado e tem sido muito procurado por empresas, para entretenimento coletivo e como uma forma de melhorar a competitividade, trabalho e espírito de equipa. A Accenture, Outsystems e Meo foram algumas das empresas que já quiseram testar esta experiência. Quais as vantagens? “Toda esta necessidade inata de sobrevivermos aos zombies leva as pessoas a aprenderem a dar resposta a situações de stress e a tomarem decisões em equipa. Depois desta experiência, de voltarem à realidade no escritório, vai melhorar em muito a comunicação entre colaboradores”, defende o responsável.
Além dos zombies virtuais, existe outro jogo que também incentiva os jogadores a trabalhar em equipa: o Singularity, que tem como objetivo reconquistar uma nave espacial que foi tomada por inteligência artificial. Aqui os participantes têm de enfrentar e combater drones e robots para vencer.