Numa mesa estão centenas de peças Lego. De várias cores e formas. “Quando foi a última vez que brincaram com Lego?”, questiona Rita Oliveira Pelica, facilitadora certificada da LEGO® SERIOUS PLAY®, uma metodologia de design thinking que tem como objetivo estimular a criatividade através da construção de modelos em Lego. A maior parte dos participantes respondem “faz tempo”. “A última vez que brinquei foi com os meus filhos!”, diz o diretor de recursos humanos de um grupo internacional em Portugal. Rita Oliveira Pelica explica que a ideia aqui é aprender enquanto se brinca. “As peças de Lego servem para criar metáforas para conceitos, ideias de negócio, produtos ou serviços, de uma forma rápida, criativa e intuitiva. É uma abordagem totalmente prática que permite uma experiência multissensorial: visual, auditiva e cinestésica. Handstorming é a palavra de ordem – na geração de ideias, na construção de conhecimento, através de modelos de Lego”, adianta a fundadora e CEO da OnYou – Empowering & Learning Experiences. “Muitas vezes não conseguimos verbalizar alguns assuntos e esta metodologia traz transparência e clareza de pensamento. Desafia os participantes a pensar (give your mind a hand!)”.

Durante o workshop vão sendo lançados vários desafios aos quais os participantes têm de responder construindo protótipos em Lego. “Como deve ser a comunicação interna de uma empresa?”, “Qual o vosso talento?”, foram algumas das perguntas lançadas pela facilitadora. Depois, no final de cada desafio, todos contribuíram com os seus insights e ouviram-se diferentes perspetivas. “O LEGO® SERIOUS PLAY® é um método de facilitação que assenta na simplicidade e que estimula a criatividade. Constroem-se histórias (storybuilding) e depois partilha-se as mesmas (storytelling). É uma ferramenta muito democrática e baseia-se numa filosofia de liderança participativa: todos participam no processo contando as suas histórias metaforizadas e ouvem todas as histórias dos elementos que fazem parte da sessão”, diz Rita Oliveira Pelica. A metodologia permite trabalhar o desenvolvimento de indivíduos, equipas e organizações, melhorando o seu autoconhecimento e potencializando as suas performances. E, de acordo com a facilitadora, esta ferramenta pode ser utilizada em processos de recrutamento e seleção, comunicação, cultura organizacional, liderança, estratégia e inovação. Pode ainda funcionar em ações de teambuilding, uma vez que pode reforçar o engagement das equipas – pois tem uma vertente lúdica e pedagógica.

“As peças de Lego servem para criar metáforas para conceitos, ideias de negócio, produtos ou serviços, de uma forma rápida, criativa e intuitiva”
Rita Oliveira Pelica, facilitadora certificada da LEGO® SERIOUS PLAY®

No final do workshop, Rita Oliveira Pelica lança um desafio coletivo a todos os participantes: uma empresa fictícia precisa de criar novos produtos ou serviços para angariar clientes e manter-se no ativo. Cada um trabalha em várias ideias, soluções, para depois construírem um modelo partilhado em Lego. “Há aqui um foco evidente nos conceitos de inteligência coletiva e de economia colaborativa, pois os modelos base individuais servirão depois para a construção de modelos partilhados. É um elogio à cocriação. A construção de um modelo partilhado é uma das maiores mais-valias do processo, porque é o assumir de um compromisso. Todos dão a sua contribuição, o seu ponto de vista e,coletivamente, negoceiam e desenham o modelo final. Há um ‘pouco de cada um’! As pessoas reveem-se no resultado final e sentem que a sua voz foi ouvida e que foram tidas em conta no processo de tomada de decisão”, argumenta a fundadora da OnYou.
As pessoas que procuram participar em sessões de LEGO® SERIOUS PLAY® são de várias áreas de atuação: consultoria, marketing, retalho, comunicação e até banca. Rita Oliveira Pelica diz que as empresas têm os seus desafios e procuram cada vez mais formas alternativas para gerarem respostas. “O ato de facilitar é fantástico para desbloquear temas e desafios que as empresas atravessam. Chega de ‘mais do mesmo’”, defende a facilitadora.