Bons Negócios

Como um unicórnio recruta talento?

Bastidores  |   12 Jun 2017

Tem uma People Team totalmente dedicada a isso. É assim que a Farfetch, o primeiro unicórnio de origem portuguesa (uma denominação para as startups avaliadas em mais de mil milhões de dólares), chama à sua equipa de recursos humanos. "Esta equipa, responsável pelo talent acquisition, gere todo o processo de receção de candidaturas para as diferentes oportunidades que temos em aberto e desenvolve uma pesquisa ativa de perfis com potencial que poderão vir a integrar uma pool de talentos a considerar no futuro", revela Ana Sousa, diretora da People Team da Farfetch.
A procura de colaboradores é feita em várias áreas, desde tecnológica, financeira, customer service, partner service, entre outras, e para posições mais técnicas ou de gestão. No entanto, como adianta a responsável, existem alguns critérios para a escolha desse talento, que vão além das competências profissionais que a empresa necessita. "Procuramos pessoas que respondam às nossas necessidades funcionais mas, acima de tudo, queremos encontrar pessoas que se identifiquem com os nossos valores e cultura. Com uma "inquietude" que nos caracteriza e que faz com que todos os dias nos sintamos capazes de fazer pequenas revoluções, através da inovação e da excelência. Que valorizem o trabalho em equipa, a colaboração e os resultados que se atingem quando trabalhamos Todos Juntos, sendo este o valor organizacional mais presente no nosso dia-a-dia". E ao que parece, a People Team tem conseguido atingir o seu objetivo, o de captar talentos que se identifiquem com a cultura da empresa. Tanto que a Farfetch foi considerada este ano como uma das melhores empresas de moda para trabalhar pela publicação Business of Fashion, ao lado de marcas como Adidas, Gucci, Calvin Klein e Tommy Hilfiger. O que o unicórnio faz para alcançar este reconhecimento? Concentra-se em criar uma Happy Journey para todos os colaboradores, desde o primeiro dia. "Na Farfetch, quando são integrados novos colaboradores, queremos que sintam que estão a começar uma aventura feliz, que sintam aquilo a que chamamos de "efeito Farfetch". Entusiasmo e adrenalina, um envolvimento que os faça sentir que são muito bem-vindos e que lhes permita conhecer o negócio, as diferentes áreas e as pessoas, de maneira a começarem a "sentir-se em casa" logo nos primeiros dias", aponta Ana Sousa. Para além de um kit de boas-vindas, todos os novos colaboradores que entram para a empresa devem participar no desafio "Farfetch World, uma plataforma na qual, durante oito semanas, são desafiados a participar em vários jogos que lhes permite adquirir e consolidar um maior conhecimento da empresa, das pessoas e das marcas, ligando-os e permitindo desde logo uma interação com os futuros colegas".
A Farfetch conta com cerca de 1 600 colaboradores, dos quais mais de 900 estão em Portugal (de 15 nacionalidades diferentes). Recentemente, a empresa apostou num novo espaço na zona de Santos, em Lisboa, preparado para receber 300 pessoas. O investimento, de um milhão de euros, vai de encontro ao objetivo da empresa de contratar este ano mais colaboradores para os seus escritórios no País. Querem contratar 500 pessoas, sendo que 100 vão ficar no novo escritório de Lisboa.

Partilhe este artigo

Comentários  |  0 Comentários

Máximo 600 caracteres | Política de Comentários

Submeter
Subscrever Newsletter